26 de janeiro de 2009

Voltando ao começo...


Voltar ao começo pode parecer repetitivo, igual descer para baixo, por exemplo, mas nesse caso não. Voltar ao começo significa quando a vida te move de forma a você voltar aos seus primeiros desejos e procuras, ao primeiro lugar em que você pesquisou casar, a primeira cidade que passou pela sua cabeça...


Como hoje moro em São Paulo e minha família está toda no interior de Minas, e a família do André no interior de São Paulo, pensamos em nos casar em um lugar de fácil acesso a todos que amamos. A menos de 200 km de Ponte Nova, minha cidade natal, e a um vôo de São Paulo, para amigos e familiares, Belo Horizonte foi a primeira alternativa.


Bem, aqui estamos nós voltando ao começo! Por diversas razões, mas como só quero ser feliz, para mim pouco importam as razões, sei que se aconteceu assim esse será o sinônimo da felicidade para setembro!


Mas antes de voltar queria muito agradecer a três pessoas que me ajudaram muito nesse processo:

Pai e mãe, obrigada pela paciência e pelo amor (porque isso não tem como ter outro nome), de visitar Ouro Preto e correr atrás de salões, igrejas, hotéis, cerimoniais, decorações... Por perderem o dia, não se cansarem, não desistirem, até o fim. Amo vocês sem motivos e por muitos motivos, mas amo vocês por isso também, e sou eternamente grata por lutarem tanto pela minha felicidade, apesar de, de verdade, eu já ser feliz só em ter vocês na minha vida.

Fernanda, minha prima, Obrigada pela pesquisa por toda cidade, por me apresentar os detalhes de Ouro Preto que só quem nasceu ali tem, pelo carinho em visitar os espaços junto comigo e pela boa vontade de usar sua ótima influência para reduzir os caminhos para contratação de tudo que precisava! Fê, não me casarei em Ouro Preto, mas com certeza essa tentativa serviu para que eu me aproximasse mais de você e percebesse o que eu já sabia de pequena, mas que a distância e a correria da vida faz a gente não prestar atenção... você é uma das pessoas mais lindas que conheço e tenho muito orgulho de tê-la como minha família, como minha amiga, você foi maravilhosa comigo e com meus pais, te amo muito e milhões de obrigadas para sempre! Te devo muito... já estou com saudades!


Fiquei emocionada. Tenho outras coisas para contar, mas vou deixar para depois, assim não choro muito, mas queria terminar constatando que sei e sinto que sou uma pessoa de sorte, de muita sorte por ter as pessoas que tenho comigo nessa vida!

20 de janeiro de 2009

Quando parece que tudo vai dar errado...


Às vezes existir um buraco secreto no mundo para ficarmos só nós, sozinhos... Sozinho me parece uma ótima palavra agora. Não por falta de amor, não por falta de vontade de ficar junto, mas pela simples vontade de ficar só.


Já que este é o blog do casamento e me propus a fazê-lo preciso contar a verdade de todos os sentimentos relacionados a ele e agora o sentimento é este: não está sendo fácil.


E este "não está sendo fácil" não está relacionado a mim e ao André, que tanto amo; nem aos nossos planos e sonhos juntos; nem ao nosso relacionamento que está indo melhor que tudo no mundo que tenho visto, mas tem a ver com a logística de casar...


Olha, ou esse arsenal que se cria não faz parte do amor e portanto não deveria fazer parte do casamento já que este é equivalente ao amor, ou está tudo muito torto. E aqui não vou fazer um protesto à indústria de festas e de desejos, porque desta sou adepta, mas à insanidade de tornar coisas simples difíceis só pelo rótulo de que existe alguém nesse momento, casando.


Como se objetivo do mundo fosse tirar a paz daqueles que, por amor, decidem se casar. Não é nada complicado, não é nada demais, não é nada que não aconteça todos os dias muitas vezes com muitas pessoas. É sim algo especial, e por favor, mundo, universo, galáxia, não tentem estragar isso...

13 de janeiro de 2009

Homenagem ao 7 horas e 7 minutos...


Este selinho lindo que vocês vêem na foto é um doce presente que recebi, hoje, do blog Dona Perfeitinha. A Talita, escritora do Dona Perfeitinha, indicou 5 blogs que considera inspiradores e merecedores do selo "blog perfeitinho" e para minha honra e alegria o 7 horas e 7 minutos foi um deles!

O Selinho vinha com uma tarefa de fazer você pensar em cinco coisas simples da vida que nos fazem felizes e, como pensei nas minhas coisas, queria dividi-las com vocês:

1-Deitar no sofá da casa dos meus avós e ouvir meu avô tocar violão para mim! É lindo...

2- Rever o André (meu noivo) depois de uma semana longe!

3- Ouvir uma boa música que me dê vontade de dançar ou de chorar...

4- Falar com a minha família ao telefone, já que estou longe deles, infelizmente.
5- Reencontrar pessoas lindas que já passaram pela minha vida das quais sinto muito saudade!
Convido vocês a conhecerem o blog da Talita e a pensar conosco 5 coisas que fazem você feliz!

8 de janeiro de 2009

Preciso me vestir para casar...


Ontem estive com algumas amigas e combinamos que, para 2009, vamos criar mini planos que devem ser realizados antes de cada encontro.
Bom, eu precisava de uma meta e como em meu tempo livre acabo pensando... pesquisando... e sonhando sobre detalhes e detalhes do casamento (e vai ter detalhe assim lá longe!), combinei que irei finalmente correr atrás de COMEÇAR a escolher meu vestido.
Como o próximo encontro de amigas é dia 29 de janeiro preciso buscar um vestido real ao invés de vasculhar sites e mais sites com medo de verdadeiramente me vestir de noiva.
Assim que tiver novidades, óbvio, não mostro, mas conto a sensação de estar de alguma forma mais perto do vestido. Será que esse processo ajuda a ficha a cair?
:-)

3 de janeiro de 2009

Feliz 2009! O ano do casamento...


Aqui começa mais um ano... Parece o mesmo, mas de alguma forma diferente, parece assustador como todo ano que começa, cheio de surpresas, mas com todos os sonhos que temos, na maioria do tempo, parece a hora certa, cheio de oportunidades, de amor e de força para continuar procurando a felicidade, se por alguma razão a gente acha que ainda nao a encontrou.

No final de 2008 perdi meu Tio Raimundo. Ele era sindrome de down, filho dos meus bisavós, tinha 58 anos e já estava doente há algum tempo. Toda família sabia que ele precisava descansar e que não merecia nada do sofrimento que estava passando, mas não estávamos prontos para perdê-lo. Foi muito difícil dizer adeus. Ainda dói e talvez não vai passar... mas perdendo-o percebi que nunca estamos prontos para perder quem amamos.

Demorei a escrever novamente porque desde que ele se foi tem sido difícil pensar no casamento. Ele sempre me disse que quando ele se casasse eu e a minha irmã seríamos sua dama de honra e que, quando eu me casasse, ele entraria comigo na igreja. Eu sabia que ele nunca se casaria, mas não podia imagina que ele não estivesse aqui para me casar - ainda bem que acredito que de alguma forma ele vai estar...
Como preciso voltar a escrever e manter esse blog tão inspirador e doce como o tenho feito e como meu tio o era, decidi dividir essa história para deixar uma mensagem para 2009: Nunca deixe as pessoas que ama sem mostrar a elas o que sente, como as pessoas não são para sempre, nunca sabemos quando será a última vez.
Felicidade, saúde, paz e amor para vocês!