31 de dezembro de 2010

Mais um ano vai, outro ano vem... e que venha 2011!


O ano novo sempre vem.

E temos que lembrar de agradecer, de alguma forma,

Por podermos participar de tudo que está por vir.


Virar o ano é um presente.

Um presente a ser dividido com aqueles que amamos.

E não precisa de muita coisa.

Um ano novo pode ser lindo se você estiver com pessoas especiais

Com esperança

Com felicidade

Com sonhos

Com expectativas


E o que eu desejo a todos que por aqui passarem

E que a essas palavras lerem

São momentos felizes

Sozinho

Ao lado de estranhos

De pessoas queridas

De um grande amor

Da família


Porque são de pequenos momentos que a vida é feita.

E eles podem ser únicos

Podem ser os últimos

Podem ser os primeiros

Porque o importante mesmo é que sejam bem inesquecíveis

Especiais.


Que 2011 seja especial e inesquecível a todos vocês!

20 de dezembro de 2010

Sempre de malas prontas


Me sinto agora em um ambiente frio. Distante. Estranha.
Eu não estou aqui.
Meus pés se sentem na obrigação, mas a cabeça e talvez até todo o resto, voa.
Livre.


E talvez isso seja o retrato do momento, que é um tempo de passagem.
De um ano a outro, de conquistas para expectativas, de realizado para esperado.
Quantas são as cabeças que estão de fato em trânsito nesse momento?

E voando a gente vai aonde a gente sonha. Onde sempre ou pela primeira vez gostaríamos de estar, de pousar, de viver. E como.

Voando a gente enxerga também o que já passou. O que fomos capazes de superar, o que encontramos, o que deixamos, o que nunca vamos saber.

E eu estou voando.
Em busca de mim, em busca de alguma coisa que me suporte, me inspire e me leve adiante.

Adiante, por favor.
Porque eu não sou daqui e nem pertenço. Quero me unir por amor, crença ou afinidade, como sempre foi.

12 de dezembro de 2010

Happy Week!


De volta

Descansada - não tudo que preciso - mas um pouco.

O calor não foi tão assustador como imaginava, mas me disseram que tive sorte!
Chuva, estrada de terra entre Imperatriz e Marabá, picadas de bichos, um povo simpático, simples e divertido, uma comida muito boa (peixes de água doce sensacionais) e todas as noites mal dormidas, já que os vôos de uma cidade a outra é sempre de madrugada.

Mas o saldo foi positivo! Adorei conhecer esse pedaço diferente do Brasil. E de fato pude perceber quantos países existem em nosso país.

Uma boa semana a todos.

5 de dezembro de 2010

Viagem - uma aventura

Na madrugada de hoje para amanhã irei para Teserina, Marabá e Imperatriz.
Essa será minha primeira viagem para essa região do Brasil e estou muito curiosa e ansiosa.

Na mala: camisas leves, calça jeans, tênis, sapatos baixos, um salto alto - não dá pra ir sem um, óculos, protetor solar, repelente, máquina fotográfica, iphone, computador. Acho que é isso.

Vou tentar escrever de lá! Se não der na sexta estarei de volta e conto tudo!

Voilá!!

Q saudade...


Hoje um grupo de amigos - A Pablitour - está reunida para o tradicional AMIGO sempre OCULTO pra mim e SECRETO para todos eles, de final de ano...


Eu e o Dedé estamos aqui em casa e acabamos de falar com todos eles pelo telefone.

É de fato muito difícil não estar lá. Não ter um amigo oculto para revelar, não comer as guloseimas que a Su cozinhou com certeza e o merengue da família Gaba Zacca.

É difícil não pode abraçar todos eles, fazer carinho no provável barrigão da Mari com a Helena que está para chegar, não ver o Enzo e a Julia já grandinhos brincando, não dar risadas das maluquices do Pablito, meu vagabundo predileto, e de todas brincadeiras que a gente sempre faz e que tornam os momentos em que estamos juntos tão inesquecíveis e mágicos...


Está difícil não estar em Sampa hoje. Não estar naquela casa linda da Zaquinha e do Gaba, com aquele clima de Natal que só amigos família são capazes de criar... Q saudade...


Amigos, obrigada!! Obrigada por serem tão importantes para nós. Por estarem sempre perto apesar de longe e por serem inesquecíveis, insuperáveis, especiais!


Desejamos a vocês um Natal de muita luz, tanta que ilumine todo 2011, com muitas supresas gostosas que invadam o ano novo, nos tragam para mais perto e nos permitam estar juntos no próximo amigo oculto/secreto!


Com amor, Tatá e Napolejón

2 de dezembro de 2010

If I can make a wish


Love is the feeling that a part is missing
Or the feeling that a part has been found.
It is those butterflies on the stomach
And a breathless moment that seems will never end.
Love is something else.
Lovers know.

Love is what you write about
But what has no words to translate
It is the tight hug that will never leave
Is the desperate tear rolling down your happy or sad face
Love is something more.
Lovers know.

Love is the ruin or the bright of a day.
It is what should always be shared
But sometimes get sooner or later, or loose
It is what one day will surprise you
Love is something.
Lovers know.

And TODAY, if I can ask for something,
All I want is that love hit SOME people’s heart
Not sooner, neither later.
Just in time.
And give them the braveness that is necessary to love
The chance do take the risk searching for happiness.

1 de dezembro de 2010

O que nos falta


Isto não é exatamente sobre mim.
Mas é sobre uma grande quantidade de pessoas,
Jovens.
Saudáveis.
Lindas.
e Tristes.

Não sei de onde vem.
Não sei se vocês também repararam.
Mas é angustiante sentir que quanto mais temos ao nosso alcance,
Tecnologia.
Conecção.
Informação.
Liberdade.
Mobilidade.
Estamos também mais tristes.
De alguma forma mais insatisfeitos,
Inseguros.
Perdidos.
Cansados.
Tristes.

O que estamos tentando esquecer?
Ou lembrar?
O que estamos perdendo?
Talvez as estrelas
E magia do que é tão simples, que se tornou impossível de notar.

E a parte mais cruel.
É que devagar vai morrendo o coração
De todas essas jovens pessoas tristes,
Que vão crescendo velhas,
Que procuram sorrisos
E alguém em que elas possam se segurar,
pelo menos por um instante.

Enquanto nós tentamos ser e ter tudo.
Nos esquecemos que a vida é de fato um relógio que deixa os minutos velhos pra trás
Sem possibilidade volta.

28 de novembro de 2010

Um presentinho: selo de qualidade



Acabei de receber um comentário no último post, que aliás já está caducando pela minha falta de disciplina em escrever, contando que o 7 horas e 7 minutos recebeu um selo de qualidade do Blog "Algumas Manias". Olha que lindo? E acabei conhecendo o blog dessas 3 meninas - Betina, Grabriela e Luana - e ADOREI!!! Meninas, Muito OBRIGADA!!!


Fiquei muito feliz!!! E é claro me senti culpada por não estar escrevendo como deveria. A Alê, a Talita, o Dedé, enfim, os amigos cobram, mas a gente sempre deixa passar... E por isso queria pedir desculpas. Voltarei!


Enfim. Para seguir o que manda o selo de qualidade vou:
1- Passar o selo para 10 outros blogs
2- Avisar aos blogueiras (0s)
3- Contar 10 coisas sobre mim


Os blogs:

1- Dona Perfeitinha

2- Julia Petit

3- Ouriço e Algodão

4- Lantajoula na Polaina

5- Garotas Estúpidas

6- Snippet & Ink

7- Olhar do mundo Interno
8- Vestida de Noiva


9- Achados da Bia


10-Blog da Mariah


10 coisas sobre mim:

Falo muito e penso mais ainda
Gosto de sorrir - mesmo quando as coisas não estão bem
Amo ler e escrever - pra mim esta é a melhor forma de estar em contato consigo mesma
Medrosa e chiliquenta, apesar de ter melhorado isso inacreditavelmente
Amo viajar, conhecer pessoas, culturas, comidas...
Sou bastante exigente comigo mesma - e com os outros
Sou naturalmente insatisfeita
Viciada em bolsas e sapatos - e acessórios, e roupas e esmaltes e....
Mineira, apaixonada na família e nos amigos que estão por todos os lugares que já passei
Vivo com um pé no passado - cheia de saudades - e outro no futuro - cheia de sonhos

Acho que para resumir em 10 é isso!! :-)

9 de agosto de 2010

Uma bailarina

1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8.
é assim que começa.
e continua.
1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8.
Tão simples e tão complicado assim.

E lá estava eu.
Colan rosa, legging preta, sapatinha rosa, cabelo preso.
Lá também estava a música, a barra e o espelho.
Simples assim.

E dentro de mim estavam todas as emoções do passado.
Toda a estranheza de quem esteve tão longe do que deveria estar perto.
E todas as lembranças perfeitas dos detalhes que fazem uma bailarina.
Postura, ponta do pé, quadril encaixado, segura o braço, mão leve, esconde o dedão, rosto pra cima, ombros pra trás, murcha a barriga. Solta a barra, não dobra o joelho. Fica.
1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8.

A música marcava o passo, a cada hora mudavam as posições.
E eu não me via.
Eu me revia.
Era como se eu tivesse voltado no tempo e estivesse ali.
Mundo a descobrir, vida a viver, sonhos a sonhar, há 14 anos atrás.
Era como se os problemas se resumissem ao queimar do músculo da minha perna e de cada pedaço do meu pé, costas e braços. Como se tudo começasse e terminasse ali.
Fica.
1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8.

Que saudade de mim. Como foi bom me encontrar naquela sala em meio aos pliês e tundes, como vai ser bom viver tudo isso de novo, como se fosse a primeira vez.

Sabe, a vida é uma aula de balé. Há de ser capaz de parecer que é leve, livre, solto, fluido, mágico, todo passo que muitas vezes de fato é duro, que marca, dói, exige, cansa, pede mais e mais do corpo e da mente. E de tanto pedir, de tanto exigir, se transforma e para de só parecer para ser lindo, apesar do esforço e apesar da dor.

E eu. Ah... eu sou uma bailarina, não podia ter me esquecido disso.

7 de julho de 2010

Capítulos da vida que começam, aparentemente, antes que outro termine


Estou eu aqui mais uma vez pensando na vida, se é que algum dia deixo de pensar...
E estou em uma nova situação, um novo tudo. Cidade, realidade, pessoas, função, casa/hotel, caminhos, temperatura, umidade, talvez pressão (em todos os sentidos – e sem saber dizer se é melhor ou pior agora – mas de fato é uma em que não estou acostumada). Ainda bem que o marido é o mesmo...

Não estou triste, não se pode chamar de tristeza, mas estar em uma situação nova é no mínimo estranho. Me sinto um personagem da minha própria vida. Como foi tudo muito depressa e de um dia para o outro me vi aqui, é como se não tivesse tido tempo de finalizar direito uma parte da minha vida para começar a outra. A parte nova atropelou a antiga, que eu nem queria que tivesse terminado. E eu ainda me sinto como pertencente ao outro mundo de mim mesma, que pra mim, inconscientemente, é o único que existe.

Aqui é como se estivesse de férias, em treinamento de qualquer coisa, ou faltando ao trabalho. É como se tudo que está lá estivesse congelado a minha espera e eu estivesse aqui de certa forma incomodada esperando a hora de voltar. Aqui, na nova realidade eu não vivo, eu atuo, não sou eu como eu sou, sou estranha, sou diferente de mim, não me comporto como me comporto normalmente, não entendo as coisas, não conheço os caminhos, não sei onde encontrar da farmácia ao restaurante, não tenho vontade de comer doce, acho os brigadeiros gigantescos, não sei o que fazer quando toca o telefone do trabalho e alguém precisa da minha ajuda... porque sou eu quem preciso de ajuda. :-) Poucas vezes na vida não soube o que fazer... tudo é tão diferente de mim... ou eu que sou diferente?

Fico esperando essa tal hora de voltar ou espero o dia seguinte para acordar e ver que foi tudo um sonho. Mas acordei aqui desde o dia 03 e me parece que não é sonho não... Então não tem hora pra voltar. E quando chegar um dia essa tal hora as coisas serão tão diferentes de hoje, eu serei tão diferente... Mas quando será que chega a hora de eu me sentir da fato em casa aqui, onde agora estou tão deslocada e me sinto tão visitante.


É como se eu tivesse sido inserida na realidade de outras pessoas, caído de pára quedas na vida delas e elas ainda tivessem que me ajudar, me guiar, ter paciência com a minha ignorância sobre nomes, siglas, endereços, códigos, sistemas, ruas e sotaques que às vezes nem entendo.
Aqui consigo ver como São Paulo me mudou. Como em quatro anos e meio minhas expectativas sobre a vida, que já eram grande, cresceram. Como mudou a minha forma de ver o mundo, meu nível de exigência sobre as coisas, as pessoas e principalmente sobre mim mesma. Consigo ver como sou ansiosa para que as coisas aconteçam e como tenho pressa. Pressa acredito ser uma característica dos paulistanos e ela está em mim. Talvez sempre tenha estado e lá desabrochou, mas está em mim hoje, isso é fato. Vejo também como estou mais pronta para qualquer coisa que vier do que imagino. Como dou conta de mim, inclusive psicologicamente. Como sou forte e corajosa quando preciso e até me orgulho um pouquinho.

Talvez eu não esteja fazendo o menor sentido. Mas dentro de mim está assim. De certa forma esse amontoado de sentimentos de quem olha o mundo em que está como se estivesse de fora, porque não me reconhece como dali. É como se as coisas acontecessem em câmera lenta e fosse tudo um filme que se passa na minha frente, sem controle. Não posso parar o tempo para respirar e tentar entender. Não posso pausar o filme para pensar melhor sobre tudo e fazer escolhas. Não posso voltar atrás. Preciso deixar acontecer e seguir em frente um dia após o outro. E ainda não posso sofrer. Porque essas foram minhas escolhas e preciso ser feliz com elas, mesmo que não seja capaz de entendê-las.

Parece que alguma coisa está errada. Ou estou no lugar errado. Mas como dizem que você nunca está no lugar errado, talvez errado seja mesmo o sentimento que eu sinto, o vazio que está dentro de mim e que mais hora menos hora terá que ser preenchido, terá que passar. E mais uma vez, isso é uma coisa que só eu consigo fazer por mim mesma. Como quase tudo na vida.

2 de junho de 2010

children, don't stop dancing
believe you can fly
away
At times life is wicked and I just can't see the light
A silver lining sometimes isn't enough
To make some wrongs seem right

But I know I must go on
Although I hurt I must be strong
Because inside I know that many feel this way
Am I hiding in the shadows?
Forget the pain and forget the sorrows

Am I hiding in the shadows?
Forget the pain and forget the sorrows

31 de maio de 2010

O ACASO OU AS COINCIDÊNCIAS...


Ainda não sei se a vida é uma sequência de acasos que se encaixam perfeitamente e parecem portanto uma programação "divina" otimizada entre o tempo e os momentos de cada um de nós.


Ou se a vida é mesmo uma seqûência de cartas marcadas, um jogo praticamente já jogado, em que coincidências de fato não existem e a possível existência do acaso só faz apimentar a vida mundana para que as coisas pareçam de fato dependentes de nós, consequentes de nós, mas não o são.


Não sei ainda se a vida é mix das possibilidades acima.


Ou se é outra coisa qualquer que pensando sobre as possibilidades acima, ainda não tive tempo ou oportunidade de notar.


Não sei qual é a da vida. A minha, e a de mais ninguém. A cada momento abraço a teoria mais apropriada e sigo em frente tentando acreditar que pode fazer algum sentido. Mas de verdade. 'Não tenho as respostas e tenho a consciência de que pro meu nível de reflexão sobre o assunto. Nunca terei.


Por isso leio o horóscopo do mês (de preferência Susan Miller - que há pouco foi me apresentada - um achado essa mulher); rezo quando não estou cansada demais e durmo antes; acredito na reencarnação porque acredito mesmo que não pode acabar por aqui e não pode ter começado aqui - aí sim as coisas fariam muito menos sentido; e procuro ser para as pessoas aquilo que eu queria que as pessoas fossem pra mim (um sorriso, um olhar doce, uma palavra inspiradora, às vezes um puxão de orelha, às vezes um desabafo - e claro, às vezes faço tudo errado - como qualquer pessoa); e no fim, peço todo dia, pra quem quer que seja e pra ninguém talvez, por saúde àqueles que amo, por mais um dia com aqueles que amo, por sorte.


É. Eu peço por sorte. Porque independente das minhas teorias, dos meus esforços, dos meus pedidos serem ou não ouvidos, e da real explicação da existência, se eu tiver sorte, ainda posso ser feliz.

Todo dia.

9 de fevereiro de 2010

O lindo casamento da Camila BY Camila

"Vou falar um pouquinho da sensação sentida no grande dia. Pra mim foi uma mistura de sentimentos, muita alegria, expectativa pra que tudo ocorresse bem, ansiedade e emoção. Um turbilhão de sentimentos todos misturados.

O que me marcou muito foi a entrada na igreja, quando começou a tocar a marcha nupcial e abriram-se as portas, minha boca tremia muito, mas mantive o sorriso no rosto e caminhei olhando pra o meu noivo no altar, é uma sensação única, o coração fica disparado, sua mão transpira, inexplicável, só sentindo pra saber.

Outra grande alegria foi a entrada no salão da festa, o brinde, a valsa, os amigos todos presentes, cada abraço, cada sorriso, me lembro de tudo como se fosse hoje, foi o dia mais feliz da minha vida. Até o meu pai que nunca sorri na fotos sorriu em todas, que nunca dança até deu uma requebrada...(hahhaha), a única hora que ele ficou mais tenso que eu foi na entrada da igreja.
A gente disputava nervosismo.
A sensação é única, é maravilhosa, e desejo a todos poder sentir isso um dia.
Seguem algumas fotos pra vcs sentirem um pouquinho desta energia gostosa".




8 de fevereiro de 2010

A semana da Camila com seu casamento de princesa!


A Camila foi a primeira amiga a enviar a história de um casamento perfeito, de contos de fadas, que eu tive o privilégio de viver junto com ela...


A essência do casamento da Camila, pra mim, foi perfeição e romantismo. Tudo estava impecável, com uma decoração delicada e ao mesmo tempo exuberante. Na pista de dança muitas luzes e uma música pra lá de animada. Na dança dos noivos uma valsa digna de Cinderela e uma noiva maravilhosa. Detalhes, muito detalhes, perfeito. Inesquecível, inclusive para mim...


O post de amanhã é sobre os sentimentos da Camila no grande dia, escrito por ela mesma!

7 de fevereiro de 2010

Para falar da alegria - parte 2

Como o casamento não foi nada convencional as pessoas estavam muito à vontade e dançaram e se divertiram muito, até as 4 da manhã. Eu dancei, pulei, cantei, em cima do salto do início ao fim. Acho que eram muitas emoções para eu sentir o pé. E o André dançou comigo, com os amigos, bagunçou, quebrou alguns muitos copos (sinal de sorte), enfim, estávamos estonteantemente alegres aproveitando a noite com pessoas queridas. Conseguimos reunir em um salão as pessoas no mundo que mais amamos e que nos amam e sabíamos que aqueles que ficaram faltando estavam pensando em nós.





























6 de fevereiro de 2010

ALEGRIA e INTIMIDADE: a essência do meu casamento...

Desde o começo a ideia era fazer um casamento muito próximo e não tanto convencional. Os convidados foram os familiares e os amigos próximos. Pessoas que nos conheciam bem, que tinham intimidade conosco e que iriam viver ali uma alegria parecida com que a gente estava sentindo. Nossa vontade era olhar para cada rostinho na hora de entrar no altar e reconhecer em cada pessoa um pedaço da nossa história, que é longa...

A alegria esteve nas palavras do padre, em alguns momentos da cerimônia (essa vou deixar vocês verem na foto), no fato de que estávamos tão felizes que não chegamos nem a chorar de felicidade, nem nossos pais. Não teve espaço para as lágrimas, só para os sorrisos!

Mas de alegria vou falar no próximo post. Não vai caber aqui....















































5 de fevereiro de 2010

Qual a essência do seu casamento?


Hoje fiquei pensando sobre casamentos e queria fazer aqui no blog uma homenagem a todas as amigas e amigos que se casaram. A cada semana queria falar de um casamento, com fotos, histórias e detalhes enviados pelas noivas e noivos...


Respondam à pergunta: qual foi a essência do seu casamento?

E me mandem fotos que amem e que retratem essa essência. Contem histórias, lembranças e detalhes que só quem viveu sabe e que podem inspirar outras pessoas...
Enviem para o email taizzg@yahoo.com.br
Vou começar pelo meu. E no próximo post já conto alguns detalhes!!!

Demorei a escrever sobre isso...


As vidas às vezes dão voltas, a sua vida e a de quem está com você.... Pode parecer natural que aconteça simultaneamento entre pessoas que se amam. E acredito que de fato é.


Mas como a roda da fortuna sabiamente diz, as coisas que vão voltam e é chegada a hora de voltar. Demorei muito a escrever sobre isso. Não estava pronta e as palavras não eram simples para dizer coisas que não queríamos que fossem reais.


Mas isso também já passou. E agora podemos ver que muito pouca coisa mudou e vai mudar. Podemos ver que somos mais fortes como dois e por consequencia mais fortes dentro de nós mesmos.


A lição é que a vida reserva surpresas, muitas indesejadas, tristes e assustadoras, mas é preciso estar pronto para elas, sempre pronto. E essa é a parte mais difícil. Quando não se está pronto o mundo sai da linha, literalmente. E sai até você estar pronto para poder seguir em frente.


Chegou a hora de seguir em frente e entender que de fato está tudo bem, com mais amor, mais cumplicidade, mais força. Coisas que até você achou que não poderiam ser MAIS no seu relacionamento.


E agora? Agora que VENHAM AS SURPRESAS BOAS. Porque essa roda vai girar!

26 de janeiro de 2010

Desidrate o seu buquê! Disso eu me arrependo....


Como vcs devem saber e se não sabem podem ver nos posts anteriores, meu buquê era de hortências e não ficou bonito para entrar (murchou pelo calor) e eu entrei com orquídeas amarelas.
Mas AMO hortências e queria muito ter mantido o meu buquê, que na correria ele se perdeu.

Se eu tivesse ouvido essa dica antes, teria prestado atenção nisso e teria guardado o buquê para desidratar. Então se vc vai casar não se esqueceça disso... DESIDRATE!! Principalemente de ele tiver florizinhas pequenas como as hostências. Vai ficar uma elegância na sua casa nova!

É tão simples e a Constance ensina duas formas facinhas!!! Clique aqui para saber!

18 de janeiro de 2010

Desejo!!

Em homenagem a uma amiga, a Lud, que via facebook me lembrou da letra de "amor pra recomeçar", do frejat, vou registrar essas estrofes que forma simples dizem muitas das coisas que eu DESEJO para 2010...

Eu te desejo
Não parar tão cedo
Pois toda idade tem
Prazer e medo...



E com os que erram
Feio e bastante
Que você consiga
Ser tolerante...



Quando você ficar triste
Que seja por um dia
E não o ano inteiro
E que você descubra
Que rir é bom
Mas que rir de tudo
É desespero...



Desejo!
Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar
Prá recomeçar...



Eu te desejo muitos amigos
Mas que em um
Você possa confiar
E que tenha até
Inimigos
Prá você não deixar
De duvidar...



Eu desejo!
Que você ganhe dinheiro
Pois é preciso
Viver também



E que você diga a ele
Pelo menos uma vez
Quem é mesmo
O dono de quem...



Desejo!
Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar...